14.2.07

Triunfalismos, ressabianços e vingançazinhas

Em 1994, o Partido Republicano tornou-se o partido maioritário na Câmara dos Representantes dos E.U.A.

Em 2002, o mesmo Partido Republicano conquistou a maioria no Senado e reforçou-a em 2004, ano em que o Presidente Bush se tornou pela 2.ª vez a Presidente dos Estados Unidos da América, desta vez com a maioria absoluta do voto popular.

Falou-se então de re-alinhamentos do eleitorado americano que se teria tornado definitavamente conservador. Falou-se de uma "maioria permanente" do Partido Republicano.

Depois veio o ano de 2006.

Neste momento, até a própria identidade conservadora do Partido Republicano é colocada em causa.

As vitórias eleitorais são efémeras e as motivações dos eleitores são incorrectamente interpretadas pelos 'analistas' que lêem nos resultados os seus próprios preconceitos e interesses.

Recorde-se que 75% do eleitorado não votou "Sim"...

2 comentários:

Mentat disse...

Caro João

Não é para desanimar, mas também lhe recordo que 75% do eleitorado não votou nada...
.

João P. Noronha disse...

57% dos eleitores não votaram em nada (abstenção, nulos, brancos).