9.6.09

Este blog votará Portugal Pro Vida nas próximas legislativas

As eleições europeias teriam sido a ocasião ideal para o Portugal Pro Vida se apresentar ao eleitorado. Infelizmente, tal não foi possível.

Os promotores do Portugal Pro Vida - com os quais não tenho qualquer ligação - anunciam agora que concorrerão nas próximas legislativas.

O incorrectamente chamado 'voto útil' prejudicará o nóvel partido. Mas existe pelo menos um voto com o qual podem contar: o meu.

5 comentários:

Luís Cardoso disse...

Caro João,
receio que os partidos monotemáticos, por assim dizer, não sejam consequentes nem sequer para defender o ponto único das suas agendas.
Parece-me mais produtiva a estratégia do movimento cívico que propõe posições em matérias concretas e, inclusive, pode fazer recomendações de voto.
Ao nível da intervenção partidária, a melhor abordagem parece-me ser a cristã, aquela proposta, segundo julgo saber, por S. Josemaria: ser cristão em todas os espaços que ocupamos, no trabalho, na escola e no partido.
Cumprimentos,

Joao disse...

Eu não faço parte de nenhume partido e o meu voto guia-se pelos princípios definidos, por exemplo, na Nota Doutrinal sobre a participação e comportamento dos católicos na política. alaguns aspectos da participação dos católicos na política (v. em particular n.º 4). A posição expressa nesse documento é a posição crstã.

Quando à minha posição concreta:

Os restantes partidos são nestas áreas, e na melhor das hipóteses, absolutamente inconsequentes (quando não cúmplices). Por exemplo, o meu "voto útil" no PSD pode transformar-se, por efeito do sistema eleitoral vigente, num voto pró-aborto do 'jovem' deputado que eu ajudei a eleger.

Sem garantias pré-eleitorais de voto pró-vida não voltarei a colaborar (remotamente) e através do meu voto com políticas abortistas, anti-vida e anti-família. É uma questão de consciência.

Já agora, informe-me por favor quais foram efeitos da acção pró-vida dos políticos católicos que integram partidos parlamentares. Eu acompanho com algum interesse essas matérias e parece-me que a sua acção tem sido inconsequente (na melhor das hipóteses) ao nível dos resultados concretos.

Luís Cardoso disse...

Caro João,
Agradeço o link.
Os resultados da militância de influência, se assim concordarmos em chamar à acção dos cristãos nos partidos políticos, é deplorável.
Partilho do seu incómodo, daquela sensação de ter as mãos não tingidas mas viscosas, por ter contribuído para eleger deputados pró-aborto.
Mas, quanto a mim, esses resultados devem-se não aos defeitos do modelo de participação, mas aos participantes eles próprios, não à militância de influência, mas aos militantes.
O João, que acompanha estas coisas de perto, sabe melhor do que eu que os cristãos que militam nos partidos parlamentares, sobretudo no PS, são daqueles CINO: cristãos in name only, ou, para não correr o risco de ser injusto, são cristãos muito lá à sua maneira, à deles e à do seu conjunto de amigos, muito progressistas, muito reformistas e pouco católicos.
Cumprimentos,

Alma peregrina disse...

Para completar a resposta do João:

Não me parece que este seja um partido monotemático (embora a sua vertente pró-vida seja o seu principal motor de impulso, e ainda bem...)

Trata-se, isso sim, de um partido com uma ideologia bem definida i.e. a Doutrina Social da Igreja. Uma ideologia tão meritória como (ou, cá entre nós, mais meritória do que) o socialismo, o comunismo, a social-democracia, etc...

Dados:
1) a incapacidade do CDS-PP em representar os eleitores que professam esta visão política
2) o gritante desrespeito pelos mais básicos direitos humanos (o direito à vida, a liberdade religiosa, a liberdade de expressão, a liberdade da escolha da educação dos filhos) e uma completa ignorância do funcionamento das estruturas mais básicas da sociedade (sobretudo a família e o casamento) de TODOS os restantes partidos...

... penso que este novo partido é extremamente pertinente. Na verdade, este parece ser o único partido com os requisitos mínimos para se constituir um partido político.

Eu também votarei PPV.

Pax Christi

Nova Evangelização disse...

* * *

Eu também votarei PPV, obviamente.
"PPV amigo, o Católico está contigo!"
Contigo e com o Padre Nuno Serras Pereira.
Ou seja, com todos os Nascituros.

Deus acima de tudo!
Deus e audácia!

J. M.
-