7.6.09

GRANDE DERROTA DO PS, GRANDE DERROTA DAS SONDAGENS, PEQUENA VITÓRIA DO PSD... e o crecimento da extrema-esquerda

  • Comparando o resultado obtido pelo PS nesta eleições com o resultado do mesmo partido nas últimas Europeias e legislativas, verifica-se que os socialistas perderamcerca de 20 pontos percentuais. É uma derrota de proporções apocalípticas; faz recordar a destruição de Sodoma neste Domingo em que a Igreja celebra a Santíssima Trindade.

    O Engenhairo não percebe que este resultado é também uma reação alérgica a si próprio e quer "manter o rumo". Enfim.

  • Por sua vez os media deveriam reconsiderar a necessidade de desperdiçar recursos em sondagens - essa nova forma de superstição que dá mau nome à astrologia -, especialmente em época de vacas (publicitárias) magras. Três dos principais 'institutos' de sodagens são dirigidos por simpatizantes bloquistas, militantes do PS e maçons. Mas nem com estes currículos invejáveis conseguiram obter dados minimamente comparáveis com os resultados eleitorais ...

  • O PSD é o pequeno vencedor destas eleições. Em comparação com as últimas legislativas, com Santana Lopes como candidato a primeiro ministro e todos os media contra o partido, o PSD ganha 3 pontos percentuais. E ganha 3 pontos quando o PS perde 20. É revelador.

    Em comparação com as últimas europeias, já com a coligação governamental PSD/CDS em maus lençóis, o PSD consegue perder votos .

    E naqueles distritos onde o PSD consegue normalmente obter votações mais expressivas, as vitórias, desta vez, são bastante anémicas.

  • Os jornais titulavam na passada semana que a extrema-direita avançava na Holanda. Vamos ver quantos é que conseguem dizer que a EXTREMA-ESQUERDA avançou em Portugal.

    Passados 20 anos sobre a queda do muro e sobre o massacre de Tianamen aí estão os herdeiros de Marx, Lénine, Estáline, Mao e Trotsky prontos a tentar mais uma vez ...

  • Os "outros", em conjunto, terão conseguido resultados próximos dos 5%. Nada mau.

  • A manterem-se estes resultados nas legislativas, a coligação "de direita" tem vantagem sobre a coligação "de esquerda"

1 comentário:

Mário disse...

João,
Excelente análise, como de costume. Digno de um exímio comentador político.
Acrescentaria uma pequena nota: parece que a extrema-direita não cresceu apenas na Holanda, mas em muitos países europeus (incluíndo o Reino Unido...).
Dado curioso: na Europa, cresce a Extrema-direita; em Portugal, cresce a Extrema-esquerda...