27.9.09

Resistência armada

Catecismo da Igreja Católica, n.º2243:
2243. A resistência à opressão do poder político não recorrerá legitimamente às armas, senão nas seguintes condições:

1 – em caso de violações certas, graves e prolongadas dos direitos fundamentais;
2 – depois de ter esgotado todos os outros recursos;
3 – se não provocar desordens piores;
4 – se houver esperança fundada de êxito;
5 – e se for impossível prever razoavelmente soluções melhores.
Pois então analisemos:

  1. "violações certas, graves e prolongadas dos direitos fundamentais"

    Como diria o Dr. Jorge Sampaio, "Dispenso-me de os mencionar um a um, pois são do conhecimento do País."

  2. "depois de ter esgotado todos os outros recursos"

    Tradicionalmente, a Aristocracia e a Igreja serviam de contrapeso ao poder 'executivo'. Hoje em dia, a primeira foi substituída pelo Joe Berardo e a influência da segunda já não existe.

    Os remédios liberais da separação e divisão de poderes também não funcionam. Governo e poder legislativo são um só e o poder judicial foi metido no bolso de trás das calças do engenheiro.

    As forças armadas foram sendo domesticadas através do orçamento de estado e são neste momento uma ameaça menos credível que a ASAE ou a EMEL.

    O chamado '4.º poder' anda pela trela do PS.

    As instituições da sociedade civil, esmagadas entre o peso crescente do Estado e o avanço inexorável do mercado, deixaram de existir.

    O que resta de sector económico privado está refém do fisco, dos contratos ou do poder 'regulador' do Estado.

    As eleições a que os nossos senhores se submetem de 4 em 4 anos, resultam sempre na imposição da escolha de uma minoria, devidamente manipulada pela propaganda, ao todo da Nação. E as eleições de hoje são disso prova.

    Resultado: É o Sócrates total !

  3. "se não provocar desordens piores"

    A minha Mãe sempre disse que era muito arrumadinho.

  4. "se houver esperança fundada de êxito"

    Sou do Benfica...

  5. "se for impossível prever razoavelmente soluções melhores."

    É impossível.
Existe uma 6.ª condição que o Catecismo omite: a resistência armada exige armas ...

Eu não tenho armas.


Portanto, parto em espírito para a Serra da Arrábida - Serra Mãe chamou-lhe o poeta (tradução em castelhano 'Sierra Madre'). Levo o martelo cá de casa e um caixote de Bolicaos que consegui surripiar da dispensa enquanto as miúdas estavam a ver o Ruca.

Hasta la vitória !

Sem comentários: