2.4.13

A revolução do Papa Francisco: Libertad o muerte!

O Papa Francisco anunciou finalmente as medidas com que pretende revolucionar a Igreja:
«Dejen las puertas abiertas de las iglesias, así la gente entra, y dejen una luz encendida en el confesionario para señalar su presencia y verán que la fila se formará».
Que é como quem diz: Liberdade (do pecado, através da confissão sacramental) ou morte (espiritual).

Quanto o papa fala da Misericórdia Divina - e bastas vezes tem ele falado do assunto - é isto mesmo que ele está a propor.

Estas palavras são verdadeiamente revolucionárias porque há paróquias onde já não existem confessionários... nem confissões. São paróquias de verdadeiros santos vivos, gente sem pecado, que deveria ser venerada de joelhos sempre que por eles passamos. São verdadeiros exemplos de virtude heróica, capazes de resistirem a todas as tentações.

Quando muito, uma ou duas vezes por ano, por alturas do Advento e da Quaresma, os vigários e os paroquianos lá se reúnem - não por necessidade - mas para não quebrarem o 2.º Mandamento da Igreja.

Eu gostava de ser como eles, mas não consigo. (Depois de escrever isto tudo, lá terei de me ir confessar outra vez.)

Sem comentários: