20.4.15

Mundanças doutrinas e a unicidade da Igreja / Doctrinal change and the unicity of the Church

  1. A Igreja é una porque a sua fonte é a Santíssima Trindade, porque o seu fundador - Jesus Cristo, o "próprio Filho encarnado, [que] reconciliou todos os homens com Deus pela sua Cruz, restabelecendo a unidade de todos num só povo e num só Corpo" -, "graças à sua «alma»: «O Espírito Santo que habita nos crentes e que enche e rege toda a Igreja, [realizando a] admirável comunhão dos fiéis, [unindo-os] todos tão intimamente em Cristo que é o princípio da unidade da Igreja. Pertence, pois, à própria essência da Igreja que ela seja una..." [CIC 813].

  2. A unidade da Igreja é assegurada também "por laços visíveis de comunão: profissão duma só fé, recebida dos Apóstolos; a celebração comum do culto divino, sobretudo dos sacramentos; a sucessão apostólica pelo sacramento da Ordem" [CCC 815].

  3. Portanto a unidade é incompatível com a existêcia de doutrinas contraditórias:
    "[M]uito tem sido dito ... sobre a compatibilidade entre a unidade de espírito w diferentes credos. São palavras sem sentido no que respeita à Revelação divina. Cristo desceu dos céus para revelar a verdade ao homem. Se fosse possível encontrar uma diversidade e credos na sua Igreja, isto quereria dizer que a verdade que Ele revelou se tinha perdido no pântano do erro humano. Significaria que o Seu objectivo teria sido frustrado, que a Sua Igreja não seria já o pilar e fundamento da verdade."

  4. Mas aqueles que promovem "mundanças doutrinais" estão de facto a promover doutrinas que contradizem directamente aquelas que foram ensinadas desde o início da Igreja.

  5. Concluo que aqueles que promovem mudanças doutrinais estão, de facto, a conceder que a sua igreja não é Una; e se a sua igreja não una, então a sua igreja não tem a sua origem na Santíssima Trindade, o seu fundador não é Jesus e a sua alma não é o Espírito Santo. A sua igreja não é pilar e fundamento da verdade.
  1. The Church is One because her source is the Holy Trinity, because of her founder - Jesus Christ, "the Word made flesh, the prince of peace, [who] reconciled all men to God by the cross, restoring the unity of all in one people and one body" -, "because of her "soul": the Holy Spirit, dwelling in those who believe and pervading and ruling over the entire Church [bringing] about that wonderful communion of the faithful and join[ing] them together so intimately in Christ that he is the principle of the Church's unity. Unity is of the essence of the Church..." [CCC 813].

  2. Unity is assured by "visible bonds of communion: profession of one faith received from the Apostles; common celebration of divine worship, especially of the sacraments; apostolic succession through the sacrament of Holy Orders, " [CCC 815].

  3. Therefore, unity is incompatible with the existence of contradictory doctrines:
    "[M]uch has been said ... about unity of spirit being compatible with differences of creed. Such words are meaningless in reference to a Divine revelation. Christ came from heaven to reveal the truth to man. If a diversity of creeds could be found in His Church, this could only be because the truth He revealed had been lost in the quagmire of human error. It would signify that His work was frustrated, that His Church was no longer the pillar and ground of the truth."


  4. But those who promote "doctrinal changes" are in fact promoting doctrines that directly contradict the doctrines that have been taught since the beginning of the Church.

  5. I conclude that those who promote doctrinal changes are in fact conceding that their church in not One; and if their church is not one then their church does not has its origin is the Holy Trinity, its founder is not Jesus and its soul is not the Holy Spirit. Their church is not the pillar and ground of the truth.

Sem comentários: