12.4.15

Sunday homeschool: 1.º Domingo depois da Páscoa / 1st Sunday after Easter

Evangelho: Jo 20, 19-31


Porque razão deseja Cristo a paz aos seus apóstolos?

Para mostrar que apenas Ele, pela sua morte e ressurreição, fez a paz entre Deus e o homem, e que os Seus seguidores devem ser conhecidos pela harmonia entre si (Jo 13, 35). A paz tem três facetas diferentes: paz com Deus, pela evitando o pecado; paz connosco próprios, isto é, uma boa consciência; paz com o próximo, pelo exercício da caridade. Estas três aspectos da paz são necessárias para a nossa Salvação.


Porque razão soprou Jesus sobre os Apóstolos quando lhes deu o poder de perdoar o pecado?

Para demonstrar que, da mesma forma que a vida coproral foi dada a Adão pelo sopro de Deus, também a vida espiritual seria dada a partir daí pelos apóstolos e pelos seus sucessores, atraves do Espírito Santo, no sacramento da penitência aos filhos de Adão que se encontrem espiritualmente mortos.


Porque permitiu Deus que Tomé duvidasse da ressurreição de Cristo?

Para que Tomé, tal como nós, como refere S. Gregório, fosse fortalecido na fé humilde na ressurreição de Cristo, e para que todas as dúvidas fossem removidas.


Possuía Tomé uma fé verdadeira quando, com os seus próprios olhos, viu Cristo?

Sim, porque ele viu Cristo apenas na sua humanidade e, no entanto, deu testemunho da Sua divindade ao exclamar: Meu Senhor e meu Deus !


Não estar preparado para acreditar antes de ver é um fé verdadeira e meritória?

De maneira nenhuma; porque a fé consiste precisamente em acreditar firmemente nas verdades que não se podem ver. Por isso Cristo declara bem-aventurado aquele que acreditam sem ver.


Quando é que a fé é verdadeira e meritória?

Fé verdadeira é aquela que acredita firmemente em tudo que o Deus revelou, tanto por escrito, como oralmente, e quando se vive de acordo com essa fé; porque ter simplementes fé em Jesus não nos salva quando os seus mandamentos não são cumpridos (Mt 7, 21; Tg 2, 20). Fé meritória é aquela que, sem dúvida, nem hesitação voluntariamente submete o entendimento às verdades reveladas que não entende, e isto por amor a Deus que é verdade eterna e não nos pode enganar.


Como podemos ter a certeza que Deus revelou determinadas coisas?

Através da Igreja de Cristo que, sozinha, preserva a palavra de Deus revelada fielmentes e incorruptamente, tal como se encontra contida na Bíblia e na Tradição; pelo espírito santo toda a verdade é dada à Igreja e Cristo permanece com ela até ao fim do mundo (Mt 28, 20).


Tem a Igreja de Cristo algumas marcas pelas quais pode ser reconhecida?

A Igreja de Cristo tem quatro caracteres: é Una, é Santa, é Católica e é Apostólica.


Como é que a Igreja é Una?

A Igreja é una porque todos os seus membros partilham a mesma fé, estão todos em comunhão e estão todos debaixo da mesma cabeça (Mt, 16, 18.; Ef 4, 37).


Como é que a Igreja é Santa?

A Igreja é Santa, no seu Fundador, Jesus Cristo, e por ensinar uma Santa Doutrina, por convidar todos a uma vida santa e pela eminente santidade de milhares dos seus fihos.


Como é que a Igreja é Católica?

A Igreja é Católica ou universal porque ela subsiste em todas as eras, ensina todas as nações (Mt 27, 19-20) e mantém toda a verdade.


Como é que a Igreja é apostólica?

A Igreja é apostólica porque vem de uma perpétua sucessão que se iniciou nos apóstolos de Cristo e deles recebeu as suas doutrinas, ordens e missão.


Qual é a verdadeira Igreja?

É a Igreja Católica, porque apenas ela possui estas marcas. Ela é una na sua cabeça, o Papa de Roma, na sua doutrina e nos seus sacramentos, o que é evidente visto que ela exclui todos aqueles que não aceitam os seus dogmas. Ela é santa porque Cristo, o seu fundador, é santo; e as suas doutrinas e sacramentos conduzem à santidade, como o demonstra a multidão dos seus santos cuja santidade Deus confirma através de grandes milagres. Nenhuma seita tem santos. Ela é Católica ou Universal, porque existe desde sempre, desde o tempo dos apostólos, como é claramente demonstrado pelo facto que, desde o tempo dos apóstolos, tem existido alguns que dela se separam e fundam seitas. A Igreja Católica sempre tem existido e não pode perecer ou corromper-se, visto que Cristo prometeu permanecer com ela até ao fim dos tempos; também se encontra espalhada por todo o mundo, está sempre a ser anunciada a todas as nações e serve a todas as gerações e a todos os povos. Ela é apostólica visto que não aceita doutrinas que não tenham vindo dos apóstolos, e pode provar que os ministros da Igreja, os bispos, descendem em sucessão ininterrupta dos apóstolos.


Aqueles que permanecem fora da Igreja Católica podem ser salvos?

O concílio de Trento (Sess. V. - Introdução) refere-se à fé católica como aquela sem a qual não é possível agradar a Deus, e o Catecismo Romano ensina que (I part. art. 9.): "A Igreja é sempre chamada Católica ou Universal porque todos os que desejam a salvação eterna tem de a ela estar ligados e abraçá-la, tal como aqueles que entraram na arca para não perecerem no dilúvio." De acordo com esta doutrina da Igreja, que os Santos Padres afirmam, apenas estão excluídos da salvação aqueles idólatras e heréticos obstinados que com pleno conhecimento negam a verdade e se recusam a entrar na Igreja. A Igreja Católica não condena os incréus, ela reza por eles e deixa o seu julgamento ao Senhor, o único que conhece o íntimo do coração de cada um e sabe se o erro é culpável ou não, e chama todos os seus membros a orarem pela sua iluminação.


Então será que já estamos salvos por pertencermos à verdadeira Igreja?

Não, temos também de viver de acordo com a fé que ela ensina, fazer uso de todos os meios de salvação, levar em conta e honrar todos as seus preceitos e mandamentos, porque doutra forma verificar-se-ão em nós as palavras de Cristo: "E eu digo-vos que muitos virão do oriente e do ocidente e se sentarão com Abraão, Isaac e Jacob no Reino dos Céus: mas os filhos do reino (a verdadeira Igreja) serão lançados na escuridão exterior" (Mt 7, 11.).

[Fonte]
Gospel: John XX. 19-31


Why does Christ so often wish peace to the apostles?

To show that He only, by His death and resurrection, has made peace between God and man, and that His fol­lowers should be known by their harmony. (John XIII. 35.) There is a threefold peace: peace with God, by avoid­ing sin; peace with ourselves, that is, a good conscience; peace with our neighbor, by the exercise of charity. This threefold peace is necessary for our salvation.



Why did Jesus breathe upon the apostles when giving them the power to forgive sin?


To show that as bodily life was once given to Adam by the breath of God, so should the spiritual life be given henceforth by the apostles and their successors, through the Holy Ghost in the Sacrament of Penance, to the children of Adam who were spiritually dead.



Why did God permit Thomas to doubt the Resurrection of Christ?

That Thomas, as well as we, says St. Gregory, should be strengthened in humble belief in the Resurrection of Christ, and that all doubts should be removed.


Had Thomas true faith when with his own eyes he saw Christ?

Yes, for he saw Christ only in His humanity, and yet testified to His divinity by exclaiming: My Lord and my God!



Is it true, meritorious faith not to be ready to believe before seeing that which is to be believed?

By no means; for faith consists precisely in firmly hold­ing as true that which is not seen. Therefore Christ calls him blessed who has not seen and yet believes.


When is faith true and meritorious?

That is true faith which firmly believes all that God has revealed, whether written or unwritten, and when one lives in accordance with that faith; for faith in Jesus simply does not save us, when that which He has commanded is not performed. (Matt VII, 21.; James II. 20.) That faith is meritorious which without doubting and without hesitation willingly submits the understanding to revealed truths which it cannot comprehend, and this for the love of Gods who is eternal truth and cannot deceive.


Whence do we know for certain that God has revealed certain things?

From the Church of Christ which alone preserves the revealed word of God faithfully and uncorrupted, as it is contained in the Bible and in tradition; by the Holy Ghost all truth is given to the Church, and Christ remains with her until the end of the world. (Matt. XXVIII. 20.)


Has the Church of Christ any marks by which it may be known?

Christ's Church has these four marks: it is One, it is Holy, it is Catholic, and it is Apostolic.


How is the, Church one?

The Church is one, because all its members agree in one faith, are all in one communion, and are all under one head. (Matt. XVI, 18.; Eph. IV. 37.)


How is the Church Holy?

The Church is Holy, in her Founder, Jesus Christ, and by teaching a holy doctrine, by inviting all to a holy life, and by the eminent holiness of so many thousands of her children.


How is the Church Catholic?

The Church is Catholic or Universal, because she subsists in all ages, teaches all nations, (Matt. XXVII. 19, 20.) and maintains all truth.



How is the Church Apostolic?

The Church is Apostolic, because she comes down by a perpetual succession from the apostles of Christ, and has her doctrines her orders, and her mission from them.


Which is this true Church?

The Roman Catholic Church, for she alone has these marks. She is One in her head, the Pope of Rome, in her doctrine, and in her Sacraments, which is evident since she excludes all those who do not accept all her dogmas. She is. Holy, for Christ her Founder is holy; and her doctrine and Sacraments lead to holiness, as shown by the multitude of her saints whose sanctity God arms by great miracles. No sect has saints. She is Catholic or Universal, for she has been in existence always from the times of the apostles, as is clearly shown by the fact that from the times of the apostles there have always been some who separated from her and founded sects. The Catholic Church has always existed, and cannot perish or be­come corrupt, since Christ has promised to remain with her to the end of the world; she is also spread over the whole world, is always being announced to all nations, and is fitted for all generations and for all people. She is Apostolic, for she accepts no doctrine which does not come from the apostles, and she can prove that the ministers of the Church, the bishops, have come down in unbroken succession from the apostles.




Can those who remain outside the Catholic Church be, saved?

The Council of Trent (Sess. V. in the Introduction) assigns the Catholic faith as the one without which it is impossible to please God, and the Roman Catechism teaches: (I part. art. 9.) "The Church is also called Catholic or Universal, because all who desire eternal salvation must cling to, and embrace her, like those who entered the ark to escape perishing in the flood." According to this doctrine of the Church, which the holy Fathers affirm, only those idolaters and obstinate heretics are excluded from salvation who knowingly deny the truth, and will not enter the Church. The Catholic Church does not condemn the unbelievers, she prays for them, leaves judgment to the Lord, who alone knows the heart, and knows whether the error is culpable or not, and she calls on all her, members to pray for their enlightenment.



Are we then already saved, if we belong to the true Church?

No, we must also live up to the faith which she teaches make good use of all means of salvation, regard and honor all her regulations and commands, for otherwise the words of Christ will be verified in us: "And I say to you that many shall come from the east and the west, and shall sit down with Abraham, and Isaac, and Jacob, in the kingdom of heaven: but the children of the kingdom (the true Church) shall be cast out into exterior darkness" (Matt. VIII. 11.)

[Source]

Sem comentários: