10.5.15

Catequese familiar: Domingo VI da Páscoa / Sixth Sunday of Easter


EVANGELHO Jo 15, 9-17: "Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Assim como o Pai Me amou, também Eu vos amei. Permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como Eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e permaneço no seu amor. Disse-vos estas coisas, para que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja completa. É este o meu mandamento: que vos ameis uns aos outros, como Eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelos amigos. Vós sois meus amigos, se fizerdes o que Eu vos mando. Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas chamo-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi a meu Pai. Não fostes vós que Me escolhestes; fui Eu que vos escolhi e destinei, para que vades e deis fruto e o vosso fruto permaneça. E assim, tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vo-lo concederá. O que vos mando é que vos ameis uns aos outros».


Porque razão insiste Jesus com os seus discípulos para que cumpram os seus mandamentos: "Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor... Vós sois meus amigos, se fizerdes o que Eu vos mando" ?

Esta frequente insistência em cumprir os mandamentos prova que a vida Cristã consiste, não apenas em ter fé, mas em praticar boas obras [ver domingo anterior.]
Why the frequent admonition of keeping the commandments: "If you keep my commandments, you will remain in my love... You are my friends, if you do the things that I command you. ?

This frequent admonition, of keeping the commandments, proveth, that a Christian's life consists not in faith only, but in good works.
Como devemos entender as palavras de Jesus sobre o novo mandamento do amor: "É este o meu mandamento: que vos ameis uns aos outros, como Eu vos amei... O que vos mando é que vos ameis uns aos outros" ?

S. Agostinho explica estas palavras da seguinte forma: "O nosso amor ao próximo deve ter origem no amor a Deus; porque se amamos o próximo devemos fazê-lo por causa de Deus. Aquele que ama a Deus, cumpre os primeiros quatro mandamentos, porque acredita nEle, tem esperança nas suas promessas, ama-O e honra-O e, simultaneamente, ama e honra os seus pais. Mas aquele que ama o próximo cumpre os restantes mandamentos, visto que o amor o impede de fazer mal ao próximo, e portanto, não o vai matar, roubar, caluniar, dar falso testemunho,; e desta forma cumpre a lei, porque '[d]estes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas' (Mt 22, 40). "
How are we to understand Jesus words concerning the new commandment of love: "This is my commandment, that you love one another, as I have loved you... These things I command you, that you love one another" ?

St. Augustine explains them as follows: "Our love towards our neighbor must have its origin in the love of God ; for if we love our neighbor, we must love him for God's sake. Now he who loves God keeps the first four commandments, for he believes in God, hopes in Him, loves Him, and honors Him, while he also loves and honors his parents. But he who loves his neighbor keeps the rest of the commandments also, since that love prevents him from doing any injury to his neighbor, so that he will not kill, nor steal, nor calumniate, nor bear false witness; thus he fulfills the law, for "upon these two commandments depend the whole law and the prophets" (Matt. xxii. 40).

Porque razão diz Jesus que "Não há maior amor do que dar a vida por aqueles que se amam?

Jesus diz-nos que amor e sacrifício são quase sinónimos. Amar significa não levar em conta o custo das nossas acções em prol das pessoas amadas. Uma mãe não sonharia em contabilizar o cansaço e as preocupações motivados pelos filhos. Não ocorreria a um marido medir a fadiga de velar junto da cama da sua mulher doente.

Jesus cumpre ele próprio o «mandamento novo» em relação a nós, ao dar a Sua vida pela nossa salvação.

Why does Jesus say: "Greater love than this no man hath, that a man lay down his life for his friends"?

Jesus is telling us that love and sacrifice are almost synonimous terms. To love means not to count the cost. A mother would not dream of measuring the sweat an tears she expends upon her children. It would nor occur to a husband to gauge his fatigue as he watches at the bedside of his sick wife.

Jesus fulfils himself the «new commandment» towards us, by giving His life for our salvation.

Porque razão o cumprimento da lei de Deus nos encherá de alegria: "Disse-vos estas coisas, para que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja completa" ?

A Lei de Deus é uma expressão do Seu infinito amor e da Sua infinita sabedoria. Deus sabe o que é melhor para a natureza humana que Ele criou; sabe aquilo que mais contribuirá para a felicidade e o bem-estar do indivíduo e da espécie. Podemos dizer que a Lei de Deus é simplesmente o 'manual de instruções' do homem. Mais especificamente, a Lei de Deus é a expressão da sabedoria divina e dirige o homem para o cumprimento do seu fim último, a eterna felicidade e bem-estar.

Why is it that fulfiling God's commandments will fill us with joy: "These things I have spoken to you: that my joy may be in you, and your joy may be filled" ?

God's law is an expression of God's infinite lovel and infinite wisdom. God knows what is best for the human nature which he has created, what will contribute most to the good and the happiness of the individual and the race. We might say that God's law is simply the 'book of instructions" which accompanies man. More strictly speaking, the law of God is the expression of the divine wisdom in directing man to the fulfillment of his end and purpose, man's eternal happiness and well-being.

Que ideias estão contidas nestas palavras de Jesus: "Não fostes vós que Me escolhestes; fui Eu que vos escolhi e destinei, para que vades e deis fruto e o vosso fruto permaneça. E assim, tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vo-lo concederá" ?

Três ideias estão contidas nestas palavras do Senhor. Uma, que o chamamento dos Apóstolos e também de todos os cristãos não provém de bons desejos, mas da escolha gratuita de Cristo. Não foram os Apóstolos que escolheram o Senhor como Mestre, segundo o costume judaico de escolher para si um rabino, mas foi Cristo quem os escolheu a eles. A segunda ideia é que a missão dos Apóstolos e de todo o cristão consiste em seguir Cristo, buscar a santidade e contribuir para a propagação do Evangelho. O terceiro ensinamento refere-se à eficácia da súplica feita em nome de Cristo; por isso a Igreja costuma terminar as orações da Sagrada Liturgia com a invocação «por Jesus Cristo Nosso Senhor».

Which ideas are contained in the following words of Jesus: "You have not chosen me: but I have chosen you, and have appointed you, *that you should go, and should bring forth fruit, and your fruit should remain: that whatsoever you shall ask of the Father in my name, he may give it to you" ?

Three ideas are contained in these words of Our Lord. The first one, that the apostles calling and also the vocation of all christians does not originate in their good wishes, but it is the free choice of Christ. It were not the Apostles who chose the Lord as Master, according with jewish custom of electing a rabi, but it was Christ Himself who chose them. The second idea is that the mission of the apostles and of all christians is following Christ by living a holy life and helping to propagate the Gospel. The third teaching refers to the efficay of the supplications made in the name of Christ; that is why the Churh usually finishes its prayers with the invocation of Jesus Christ Our Lord.


INSTRUÇÃO SOBRE O AMOR

Qual é a terceira virtude sobrenatural ?

A terceira virtude sobrenatural é a virtude da caridade ou amor.

INSTRUCTION ON LOVE

Which is the third supernatural virtue?

The third supernatural virtue is the virtue of charity or love.


Qual é a definição da virtude da caridade?

A Caridade é uma virtude sobrenatural, infundida por Deus em nossa alma, pela qual amamos a Deus por Si mesmo sobre todas as coisas, e amamos o próximo como a nós mesmos, por amor de Deus.

A caridade abrange todos os filhos de Deus no Céu, na terra e no purgatório.


What is the definition of the virtue of charity?

Charity or love is a divinely infused habit, inclining the human will to cherish God for his own sake above all things, and man for the sake of God.

Besides God, charity embraces all the children of God in heaven, on earth, and in purgatory.


Porque é a virtude da caridade infusa ?

A caridade é infusa porque é um dom de Deus. "A caridade de Deus é derramada nos nossos corações pelo Espírito Santo" (Rom 5, 5). Os teólogos concordam que a caridade é infusa juntamente com a graça santificante no baptismo.

É por isso distinta e superior à natural inclinação ou ao hábito adquirido de amar a Deus e de amar ao próximo por causa das suas qualidades.


Why is the virtue of charity infused ?

Charity is infused because it is a gift of God. "The charity of God is poured forth in our hearts, by the Holy Ghost" (Romans 5:5). Theologians agree in saying that it is infused together with sanctifying grace in baptism.

It is, therefore, distinct from, and superior to, natural inclination or the acquired habit of loving God and the natural love of neighbor because of his qualities.


A virtude da caridade ou amor é um sentimento?

Não.

O amor reside na nossa vontade. Apesar da caridade ser por vezes intensamente emocional esta reside na nossa vontade.

É possível ter um profundo amor a Deus, demonstrado pela nossa fidelidade a Deus e aos seus mandamentos sem sentir esse amor.

É possível ter um genuíno amor sobrenatural pelo nosso próximo, apesar de ao nível natural sentirmos uma forte aversão por ele. Perdo-o-lhe as suas ofensas, por amor a Deus ? Tento evitar pensamentos amargos e de vingança em relação a ele ? Rezo por ele e espero que ele obtenha as graças necessárias para a salvação da sua alma ? Estou preparado para o ajudar se ele precisar, apesar da minha repugnância ? Em caso afirmativo, tenho um amor sobrenatural pelo meu próximo.

Is the virtue of charity or love a feeling ?

No.

Love resides in our will. Although charity is at times intensely emotional it properly resides in the rational will.

It is possible to have a very deep love for God, as proved by our fidelity to Him and His commandments, without feeling that love.

We may have a genuinely supernatural love for our neighbor, even though on the natural level we feel a strong distaste for him. Do I forgive him, for God’s sake, the wrong he has done? Do I try to stop any bitter or vengeful thoughts that come to my mind about him? Do I pray for him, and hope that he will get the grace he needs and save his soul? Do I stand ready to help him if he should be in need, in spite of my own natural repugnance? Then I do have a supernatural love for my neighbor.

Por que motivos devemos amar a Deus?

Devemos amar a Deus, porque Ele é o sumo Bem, infinitamente bom e perfeito, e além disso por que Ele o manda, e pelos inumeráveis benefícios que dEle recebemos.

Como se deve amar a Deus?

Devemos amar a Deus sobre todas as coisas, com todo o nosso coração, com toda a nossa mente, com toda a nossa alma, e com todas as nossas forças.

Que quer dizer: amar a Deus sobre todas as coisas?

Amar a Deus sobre todas as coisas quer dizer: preferi-Lo a todas as criaturas mais caras e mais perfeitas, e estar disposto a perder tudo antes que ofendê-Lo ou deixar de amá-Lo.


Que quer dizer: amar a Deus com todo o nosso coração?

Amar a Deus com todo o nosso coração quer dizer: consagrar-Lhe todos os nossos afetos.

Que quer dizer: amar a Deus com toda a nossa mente?

Amar a Deus com toda a nossa mente quer dizer: dirigir para Ele todos os nossos pensamentos.

Que quer dizer: amar a Deus com toda a nossa alma?

Amar a Deus com toda a nossa alma quer dizer: consagrar-Lhe o uso de todas as potências da nossa alma.

Que quer dizer: amar a Deus com todas as nossas forças?

Amar a Deus com todas as nossas forças quer dizer: esforçar-se por crescer cada vez mais no amor dEle, e proceder de maneira que todastenham por motivo e por fim o seu amor e o desejo de Lhe agradar.

Why should we love God?

We should love God because He is the Supreme Good, infinitely good and perfect; and also, because He commands us to do so, and because of the many benefits we receive from Him 


How are we to love God?


We are to love God above all things else, with our whole heart, with our whole mind, with our whole soul, and with all our strength.


What does it mean to love God above all things?

To love God above all other things means to prefer Him to all creatures, even the dearest and most perfect, and to be willing to lose everything rather than offend Him or cease to love Him.

What is meant by loving God with our whole heart?

To love God with our whole heart means consecrating all our affections to Him.

What is meant by loving God with our whole mind?

To love God with our whole mind means directing all our thoughts to Him.


What is meant by loving God with our whole soul?

To love God with our whole soul means consecrating to Him the use of all the powers of our soul.

What is meant by loving God with all our strength?

To love God with all our strength means striving to grow ever more and more in His love, and so to act that all our actions should have as their one motive and end the love of Him and the desire of pleasing Him.

Porque devemos amar o nosso próximo?

Amamos o nosso próximo por causa de Deus. Apenas Deus é amável. No entanto, visto que todos os homens pela graça ou partilham ou são capazes de partilhar da bondade divina, resulta que o nosso amor sobrenatural inclui-os (Mt 22, 39 e Lc 10, 27). Portanto a mesma virtude da caridade tem por objecto Deus e o homem, primeiro Deus e depois o homem.


Why do we love our neighbor?

We love our neighbor for the sake of God. God alone is all lovable, yet, inasmuch as all men, by grace and glory, either actually share or at least are capable of sharing in the Divine goodness, it follows that supernatural love rather includes than excludes them, according to Matthew 22:39, and Luke 10:27. Hence one and the same virtue of charity terminates in both God and man, God primarily and man secondarily.


Como é que amamos o nosso próximo?

Amar o próximo como a nós mesmos quer dizer: desejar-lhe e fazer-lhe, tanto quanto pudermos, todo o bem que devemos desejar para nós mesmos, e não lhe desejar nem fazer mal algum.

No que respeita às vantagens que desejamos proporcionar-lhes, e por ordem de importância, devemos providenciar (1) os bens espirituais que têm a ver com a salvação da alma; (2) os bens intrínsecos e naturais da alma e do corpo como, p.ex., a vida, a saúde, o conhecimento, a liberdade, etc...; (3) os bens extrínsecos da reputação e da riqueza, etc...

A ordem de precedência da nossa caridade deve ser, primeiro aqueles que estão mais próximos de nós e depois os outros.

Aqueles cuja necessidade é mais extrema e/ou que não podem ajudar-se a si próprios tomam precedência sobre os restantes.

Uma aplicação destes princípios é a seguinte: Devemos socorrer o nosso próximo que tenha uma necessidade espiritual extrema mesmo à custa da nossa vida, desde que exista a certeza da necessidade do próximo e a certeza da eficiência do nosso serviço.

Como se perde a Caridade?

Perde-se a Caridade com qualquer pecado mortal.

Como recuperamos a Caridade?

Recuperamosa Caridade, fazendo atos de amor de Deus, arrependendo-nos e confessando-nos bem.

Quando somos obrigados a fazer um acto amor de Deus?

Somos obrigados a fazer actos de Caridade: (1) quando chegamos ao uso da razão; (2) frequentes vezes no decurso da vida; (3) em perigo de morte.

ACTO DE AMOR A DEUS

Meu Deus amo-Vos de todo o meu coração, porque sois infinitamente bom, e por amor de Vós amo o próximo como a mim mesmo.
How do we love our neighbor?

To love our neighbour as ourselves means to wish him and do him, as far as possible, the good which we ought to wish for ourselves, and not to wish or to do him any evil.


Concerning the advantages which we desire to procure for them, and by order of importance, we should provide (1) the spiritual goods appertaining to the salvation of the soul; (2) the intrinsic and natural goods of the soul and body like life, health, knowledge, liberty, etc…; (3) the extrinsic goods of reputation, wealth, etc…


The order of precedence should be, first those that are closer to us and then the others.


The ones who are in extreme necessity and/or cannot help themselves take precedence over the rest.

An application of these principles is the following: We are bound to succor our neighbor in extreme spiritual necessity even at the cost of our own life, an obligation which, however supposes the certainty of the neighbor’s need and of the effectiveness of our service to him.

How is charity lost?

Charity is lost by each and every mortal sin.


 How is charity regained?

Charity is regained by making acts of the love of God, by duly repenting and making a good confession.

When are we obliged to make an act of love?

 We should make acts of love: (1) when we reach the age of reason; (2) frequently in the couse of our lives; (3) When in danger of death.

 ACT OF LOVE

O my God, I love you above all things, with my whole heart and soul, because you are all good and worthy of all my love. I love my neighbor as myself for the love of you.

Sem comentários: