28.6.15

Catequese familiar: Domingo XIII

EVANGELHO: Forma breve Mc 5, 21-24.35b-43

Naquele tempo, depois de Jesus ter atravessado de barco para a outra margem do lago, reuniu-se uma grande multidão à sua volta, e Ele deteve-Se à beira-mar. Chegou então um dos chefes da sinagoga, chamado Jairo. Ao ver Jesus, caiu a seus pés e suplicou-Lhe com insistência: «A minha filha está a morrer. Vem impor-lhe as mãos, para que se salve e viva». Jesus foi com ele, seguido por grande multidão, que O apertava de todos os lados. Entretanto, vieram dizer da casa do chefe da sinagoga: «A tua filha morreu. Porque estás ainda a importunar o Mestre?». Mas Jesus, ouvindo estas palavras, disse ao chefe da sinagoga: «Não temas; basta que tenhas fé». E não deixou que ninguém O acompanhasse, a não ser Pedro, Tiago e João, irmão de Tiago. Quando chegaram a casa do chefe da sinagoga, Jesus encontrou grande alvoroço, com gente que chorava e gritava. Ao entrar, perguntou-lhes: «Porquê todo este alarido e tantas lamentações? A menina não morreu; está a dormir». Riram-se d’Ele. Jesus, depois de os ter mandado sair a todos, levando consigo apenas o pai da menina e os que vinham com Ele, entrou no local onde jazia a menina, pegou-lhe na mão e disse: «Talita Kum», que significa: «Menina, Eu te ordeno: Levanta-te». Ela ergueu-se imediatamente e começou a andar, pois já tinha doze anos. Ficaram todos muito maravilhados. Jesus recomendou-lhes insistentemente que ninguém soubesse do caso e mandou dar de comer à menina.


EXPLICAÇÃO: Jesus manifesta-se como o Senhor da vida. Mais de uma vez, Ele próprio Se definiu como sendo a Vida. É assim, porque é o Filho de Deus. Fazendo-Se homem, a sua humanidade é agora o instrumento da sua divindade. Aproximar-se d’Ele é aproximar-se da Vida.

Jairo é mencionado neste trecho das Escrituras para nos ensinar que devemos recorrer a Jesus nas doenças do corpo e da mente com fé e confiança; mesmo que a doença se prolongue e pareça incurável, não devemos sentir-nos desencorajados e perder a confiança em Deus: «Não temas; basta que tenhas fé».


INSTRUÇÃO SOBRE O ESCÁRNIO e o RÍDICULO A QUE SÃO SUJEITOS OS CATÓLICOS

Quando Jesus entrou na cada de Jairo e disse "A menina não morreu; está a dormir", a multidão riu-se d'Ele com desprezo porque não entederão o sentido das suas palavras, nem aquilo que Ele estava prestes a fazer. Tratamento semelhante é dado pelo mundo aos díscipulos de Jesus que, pela sua palavra e pelo seu exemplo pregam o desprezo das honras, riquezas, prazeres e o amor À pobreza, à humildade, à mortificação. Não permitis ser desviados aqueles que ridicularizam o teu zelo pela virtude; não lhes prestes atenção, tal como fez Jesus, e confia naquele que foi ridicularizado por tua causa, para teu bem.

Nessas ocasiões, diz para ti próprio:

"Eu sei, Jeus, que não é o servo maior que o seu Senhor. Se Vós fostes tão frequentemente zombado, deve parecer-me estranho que eu também seja insultado e considerado insensato por tentar praticar a virtude ? Não devo ser tratado de forma diferente de Vós, meu Senhor e meu Deus".

INTRUCTION ON SCORN and RIDICULE



When Jesus entered the house of Jairus, and said, "The girl is not dead, but sleepeth", the multitude laughed Him to scorn, because they understood neither the meaning of His words nor what He was about to do. Similar treatment sensual-minded men of the world often give to those servants of God who, by word and example, preach the contempt of honors, riches, pleasures, and the love of poverty, humility, and mortification. Permit not yourself to be led astray by those who ridicule your zeal for virtue; pay no heed to them, according to the example of Jesus, and trust in Him Who was Himself derided for your sake.

Say to yourself:

"I know, O dearest Jesus, that the servant is not greater than his master. When Thou wast so often mocked, why should it appear strange to me to be jeered at and called senseless for endeavoring to practise devotion and virtue? would not fare differently from Thee, my Lord and my God."

Sem comentários: