28.9.15

Sínodo sobre a legitimação do adultério e da homossexualidade: Entre S. Judas Tadeu e Judas Iscariotes


Este Papa é uma desgraça.

Desde a fatídica viagem de regresso do Brasil, todas as suas palavras, actos, nomeações, demissões, telefonemas, encontros privados, "gestos" e "sinais" apontam no mesmo sentido.

Depois da aprovação da farisaica reforma das declarações de nulidade matrimomial, que mantém a letra da indissolubilidade enquanto que ao mesmo tempo promove divórcio, e na ausência de intevenção Divina, o Papa vai permitir - por comissão, omissão ou confusão (que é a sua imagem de marca) -, que pecadores públicos, nomeadamente adúlteros e homossexuais praticantes e incontritos, recebam a absolvição e o corpo, sangue, alma e divindade de Jesus em comunhão.

É possível que, na prática, isto só venha a ocorrer naquelas (muitas) dioceses encabeçadas por bispos heréticos - os mesmos bispos que fazem parte do "Team Bergolgio" e da máfia de St. Gallen e que Francisco promoveu e/ou nomeou pessoalmente para o sínodo.

De qualquer forma, isto não é conciliável nem com a doutrina da Igreja

Despeço-me até ao dia 25 de Outubro, p.f., data em que, de uma maneira ou de outra, terminará este pesadelo.

Sem comentários: