1.8.17

Uma "excomunhão" para Galat?

Hoje em dia, os hierarcas tudo toleram e premeiam com o seu silêncio (quando não com o seu acordo): sacrilégio eucarístico, adultério, sodomia, eutanásia, aborto, ... universalismo, indiferentismo, ... modernismo.

Tudo?

Tudo, não.

É proibido acreditar naquilo que a Igreja sempre ensinou.

A "liberdade das consciências", o "discernimento", o "diálogo", a "cultura do encontro", a "misericórdia" têm limites.

Galat ousou criticar os "dogmas" bergoglianos, pôs-se a jeito e foi imediatamente "misericordiado":

É pena que não tenha sido utilizado o mesmo critério entre os anos de 1978 e 2013.

Ter-se-iam evitado muitam chatices (e o atual pontificado).

Sem comentários: