3.12.17

Pope Francis Promulgates Buenos Aires Guidelines Allowing Communion for Some Adulterers in AAS as his "Authentic Magisterium"

[Ver provas escritas no Rorate Caeli]

A partir de agora todos os "bons católicos" terão de manifestar "religiosa submissão da vontade e do entendimento" (Cf. Lumen Gentium 25) à licitude da comunhão de alguns adúlteros praticantes, tal como resulta do "magistério autêntico" do Papa Francisco, e à ilicitude da comunhão de todos os adúlteros praticantes, ensinada autenticamente pelos anteriores 265 papas (Cf. Catecismo da Igreja Católica n.º 1650).

  • Conclusão 1: da mesma forma que o Papa Francisco pode "autenticamente" ensinar o contrário dos seus predecessores, também um dos seus sucessores poderá "autenticamente" contrariar aquilo que o Papa Bergoglio agora ensina.

  • Conclusão 2: o magistério autêntico, ordinário e não infalível, pode errar (i.e. ou este Papa está errado ou os anteriores estavam errados).

  • Conclusão 3: se o magistério ordinário pode errar, não vale a pena entrar em contorcionismos hermenêuticos para justificar os erros dos últimos 50 anos.


Sem comentários: