1.2.18

MÊS DA SAGRADA FAMíLIA

O mês de fevereiro é tradicionalmente dedicado à Sagrada Família. Entre os eventos que marcaram o Natal e o início da vida pública de Cristo, a Igreja considerou oportuno recordar o exemplo da Sagrada Família para emulação pela família cristã.

Apesar do mês da Sagrada Família ser Fevereiro, a solenidade da Sagrada Família é celebrada no domingo da Oitava do Natal ou no dia 30 de dezembro, quando o Natal calha ao Domingo. Para além da celebração desta solenidade, os fiéis recorrem frequentemente à Sagrada Família de Nazaré em muitas circunstâncias da vida: juntam-se à Associação da Sagrada Família para modelar suas próprias famílias segundo a Sagrada Família de Nazaré e fazem orações frequentes para se confiarem ao patrocínio da Sagrada Família e para obter ajuda na hora da morte:

"Amado Jesus, José e Maria dou-vos o coração e a alma minha.

Amado Jesus, José e Maria assisti-me na última agonia.

Amado Jesus, José e Martia, expire em paz entre vós a alma minha".
A liturgia da festa nos leva de volta a Nazaré, para vislumbrarmos a vida da Sagrada Família, observarmos o modelo que nos é oferecido e moldarmos as nossas vidas segundo esse exemplo.

A vida da Sagrada Família é caracterizada pelo zelo pela religião e pela oração, e pelo amor que a une. Além disso, Jesus, o Filho de Deus, mostra uma obediência respeitosa a José e a Maria. "Depois desceu com eles, voltou para Nazaré e era-lhes submisso".

O espírito da Sagrada Família e suas virtudes características são retratados nas palavras de São Paulo aos Colossenses (3: 12-17):
"Irmãos, Como eleitos de Deus, santos e amados, revesti-vos, pois, de sentimentos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de paciência, suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos mutuamente, se alguém tiver razão de queixa contra outro. Tal como o Senhor vos perdoou, fazei-o vós também. E, acima de tudo isto, revesti-vos do amor, que é o laço da perfeição. Reine nos vossos corações a paz de Cristo, à qual fostes chamados num só corpo. E sede agradecidos. A palavra de Cristo habite em vós com toda a sua riqueza: ensinai-vos e admoestai-vos uns aos outros com toda a sabedoria; cantai a Deus, nos vossos corações, o vosso reconhecimento, com salmos, hinos e cânticos inspirados. E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando graças por Ele a Deus Pai".

Um modelo inspirador, uma instrução preciosa!

Entre estas virtudes, podemos chamar atenção especialmente para:

  • a vontade e o esforço de ser de um só coração e uma alma;

  • a devoção uns aos outros, suportando as falhas uns dos outros e perdoando os erros uns dos outros;

  • a disposição para servir os outros e submeter os próprios interesses ao bem comum da família;

  • à disposição para fazer o que for necessário para fomentar a compreensão e apreciação mútuas.
A liturgia sagrada, no entanto, não se contenta em apresentar um exemplo. Abre-nos, também, as fontes necessárias para uma boa vida familiar cristã: o Santo Sacrifício da Missa, da Sagrada Comunhão e da oração.

A vida familiar cristã exige sacrifício, a renúncia aos próprios desejos e uma razoável mortificação de si mesmo. Para ser perfeita, exige uma vitória completa sobre o amor próprio. Requer um alto grau de virtude, piedade profunda e fé viva, muita oração e uma estreita união com Deus.

Nos nossos dias, os fundamentos da vida familiar foram abalados pelo divórcio e a separação. Por esta razão, a devoção à Sagrada Família de Nazaré assume um novo significado e uma nova importância. A família moderna deve novamente ser rejuvenescida e preenchida com o espírito da Sagrada Família de Nazaré. Deve recuperar o espírito de fé, o espírito de sujeição à vontade de Deus. É por essa intenção que devemos oferecer nossas orações e sacrifícios durante o mês.


 Benedict Baur, O.S.B.

Sem comentários: